Rodrigo Brito

Rodrigo Brito

Software Developer

Rodrigo Brito é bacharel em Sistemas de Informação pelo IFMG, mestrando em Ciência da Computação pela UFMG e desenvolvedor back-end na Studio Sol.

Mestrado em Ciência da Computação

A área acadêmica é sempre questionada no mercado de tecnologia, uma formação superior é realmente necessária? De fato, não é necessária. Conheço excelentes profissionais que não são formados e você dificilmente irá aprender algum framework da modinha em uma universidade, isso você pode aprender sozinho.

Porém, conhecimento nunca é demais, aproveite as oportunidades que estão ao seu alcance, principalmente as gratuitas que são oferecidos por instituições como a UFMG. Lembre-se: Conhecimento não ocupa espaço, seu cérebro não é um HD de 250GB.

Depois que finalizei minha graduação de Sistemas de Informação no IFMG resolvi encarar o mestrado acadêmico. De fato, está sendo um grande desafio e irei falar um pouco sobre o processo de ingresso e as experiências no Departamento de Ciência da Computação (DCC/UFMG).

Motivação

Tive grande influência durante minha graduação, participei de dois projetos de iniciação científica (IC) e acabei ganhando gosto pela área acadêmica. Se você tiver a oportunidade de participar de um projeto de IC, não pense duas vezes, com certeza será uma experiência muito proveitosa, além de contar vários pontos durante o processo seletivo em um programa de pós-graduação.

E ai Rodrigo, é possível trabalhar e fazer um mestrado?

Claro, como muito café e música, tudo é possível. Resolvi encarar esse desafio e digo que é totalmente factível. O principal problema é o horário de aula, o DCC possui uma grade de horários muito dispersa e pode dificultar sua vida caso queira cursar disciplinas muito específicas.

Então vai a primeira dica: Faça disciplinas isoladas.

Você não precisa ser um aluno da UFMG para cursar as disciplinas de lá. Todo início de semestre, os departamentos publicam uma lista de disciplinas que estarão disponíveis para serem cursadas de maneira isolada. O processo é bem simples, você se cadastra no site do departamento, escolhe uma disciplina e paga apenas uma taxa de matrícula (R$ 194,57 - verificado em mar/2020), nada de mensalidade.

Fiz isso por 3 semestres antes de entrar no mestrado. Essas disciplinas podem ser aproveitadas e dispensar créditos no curso. Desta forma, precisei fazer apenas duas disciplinas depois do ingresso, Projeto e Análise de Algoritmos (PAA), que é obrigatória, e uma outra independente.

Com uma carga horária menor, você consegue conciliar perfeitamente os estudos com o trabalho. Se sua empresa tem horário flexível, melhor ainda. Será uma missão um pouco mais tranquila.

Disciplinas Isoladas

Além de flexibilizar seu tempo no mestrado, as disciplinas isoladas proporcionam um contato inicial com os professores do departamento. Um bom relacionamento durante as disciplinas pode resultar em orientações futuras. Cair de paraquedas sem um orientador pode não ser uma experiência legal, por falta de disponibilidade de professores você pode cair em áreas não desejadas. Além disso, você pode desenvolver pequenas pesquisas, publicar artigos, fazer contatos com outros alunos e laboratórios que te ajudarão bastante nas escolhas e direcionamentos.

Uma das disciplinas que cursei como isolada, Manutenção e Evolução de Software, resultou em um artigo (Tool Paper), publicado na 26th IEEE International Conference on Software Analysis, Evolution and Reengineering (SANER) e um projeto open source com mais de 1.400 estrelas no Github. A pesquisa foi desenvolvido sob orientação do professor Marco Túlio que posteriormente se tornou meu orientador no mestrado.

Processo seletivo

Atualmente, o processo seletivo é guiado por um edital que considera a média entre a nota do aluno na Pós-Comp e o currículo acadêmico. Desta forma, se você possui publicações relevantes, projetos de IC e um bom histórico de notas, com certeza se dará bem.

A Pós-Comp é considerada uma prova difícil, pelo fato de cobrir todos os conteúdos abordados em um curso de graduação. No entanto, você pode se preparar fazendo provas anteriores, divulgadas no site da SBC. Lembre-se, a prova da Pós-Comp cobre metade do peso da avaliação de entrada. Uma boa nota pode te garantir tranquilidade no processo.

Lembre-se: a Pós-Comp só é aplicada uma vez no ano e sua nota pode ser utilizada nos dois semestres seguintes, se você pretende tentar o processo, fique atento com as datas.

Obrigatoriedades

Uma vez no mestrado, você precisa cobrir 20 créditos (ex: 5 disciplinas de 4 créditos), estágio em docência e desenvolver uma pesquisa que se concretiza com a defesa da dissertação. A única disciplina obrigatória é Projeto e Análise de Algoritmos (PAA) que irei falar posteriormente, os demais créditos podem ser cobertos por disciplinas que você e seu orientador escolherem. Disciplinas isoladas podem ser aproveitadas para cobrir parte dos créditos.

Introduction to Algorithms

A disciplina de Projeto e Análise de Algoritmos (PAA) é bastante temida no departamento pela sua rigidez e complexidade. Ela une dois segmentos bastante temidos na computação: Algebrismo e Estrutura de Dados. Confesso que foi uma das disciplinas mais desafiadoras que já cursei. Porém, não é impossível.

O grande problema dessa disciplina é a densidade de conteúdos abordados em pouco tempo. O formalismo matemático, estruturas de dados e algoritmos complexos podem ser grandes pedras no sapato. No semestre que cursei, 2019/2, as provas foram condizentes com o conteúdo dado em aula e diversos pontos extras foram distribuídos. Eu fiz muitos exercícios e estudei o máximo de tempo que pude. No final, obtive um bom resultado, 98 pontos, mas não foi nada fácil. É uma disciplina que exige foco e muita dedicação.

Pesquisa

Em paralelo com as disciplinas, você irá desenvolver uma pesquisa em conjunto com seu orientador. As pesquisas iniciam de maneira exploratória até que um tópico relevante seja encontrado, muitas vezes você poderá dar sequência em outros trabalhos que vem sendo estudados por alunos anteriores. A consolidação de um trabalho se resume em publicações científicas de artigos em simpósios, conferências e revistas.

Algo que me surpreendeu no DCC/UFMG é rigor na seleção de eventos. Por ser um programa nível 7 da CAPES, o foco em internacionalização é ampliado e boa parte das publicações acabam acontecendo nas maiores conferências de cada área. Boas publicações em eventos com qualis alto (A1, A2, etc.) demonstram a relevância do seu trabalho e podem te ajudar durante a defesa final.

Bolsas

Além do curso de pós-graduação ser gratuito, você pode obter bolsas de estudos por meio de instituições de fomento como a Capes e CNPq. No último semestre, todos os calouros que solicitaram bolsa, receberam o benefício no primeiro mês. Alguns pontos importantes: Atualmente, a bolsa de mestrado é de R$1500 e R$2200 no doutorado. Você não pode trabalhar e receber a bolsa, é dedicação exclusiva. É preciso manter boas notas, mínimo de 80% de rendimento no semestre.

Concluindo

O mestrado em uma universidade federal é uma oportunidade única, não é uma missão impossível e é totalmente gratuita. Recomendo a todos que experimente fazer pelo menos uma disciplina isolada para conhecer e desfrutar um pouco do ecossistema. Lembre-se dos ensinamentos do sábio ET Bilu.

Busquem conhecimento - ET Bilu

PS: Se você não conhece o ET Bilu, você está gastando sua internet de forma errada.